1. Apelidos

Formação dos nomes de família :

> Desde o século XX a regra da formação dos nomes de família em Portugal foi fixada :
Primeiro Nome + Apelido da Mãe + Apelido do Pai

ex: Maria Isabel Pereira Rodrigues
Só o apelido do pai (aqui Rodrigues) se transmite à geração seguinte (em 1a ou 2a posição segundo que seja uma rapariga ou um rapaz qui transmite o nome).

 

> Mas antes disso, existia várias possibilidades, todas aceitas e usadas frequentemente :
- nome do pai : João da Silva Ferreira
- nome da mãe : Maria Isabel Pereira Rodrigues

 

1/ como actualmente, as crianças guardam o apelido da mãe, e a seguir o do pai.
ex: Pedro Rodrigues Ferreira
Cristina Rodrigues Ferreira

 

2/ o filho guarda o apelido completo do pai, a filha o da mãe.
ex: Pedro da Silva Ferreira
Cristina Pereira Rodrigues

 

3/ a filha não tem apelido, mas o primeiro ou segundo nome da mãe (se tiver), ou um nome em relação com a religião (os mais frequentes : de Jesus, dos Santos, da Cruz, da Conceição) que às vezes já corresponde com o apelido da mãe.
ex: Cristina Isabel
ou: Cristina de Jesus

 

4/ acontesse que se cruzem apelidos sem lógica aparente. É um caso menos frequente mas existe. Em geral nesses casos as crianças guardam o primeiro apelido da mãe, e o 2° do pai (ou seja : o apelido da avó materna + o do avô paterno). Mas às veses é mais aleatório.
ex: Pedro Pereira Ferreira
Cristina da Silva Rodrigues

 

 

São os casos mais frequentos, a notar que às veses os nomes dos próprios irmãos eram diferentes e seguiam lógicas diferentes :
ex: Pedro da Silva Ferreira (caso 2) irmão de
Cristina Rodrigues Ferreira (caso 1)

 

Acontesse também que a ordrem dos nomes seja invertida (apelido do pai + apelido da mãe), sem que se saiba exactamente porquê. Mesmo entre irmãos e irmã de mesmo sexo.
ex: Pedro Rodrigues Ferreira irmão de
Cristina Rodrigues Ferreira irmã de
Catarina Ferreira Rodrigues

 

Alguns apelido são declinados diferentemente entre os irmãos e as irmãs :
ex: Pedro Francisco
Cristina Francisca
Ou : Pedro Couceiro
Cristina Couceira

(Galvão / Galvoa, etc.)

 

 

Recuando no tempo, o apelido dos rapazes segue de preferência o esquema n° 2, e o das raparigas o n° 3. Mas não é sistemático.
Em geral prefire-se a perpetuação do apelido paterno, menos que a lignagem materna seja mais prestigiosa.

 

 

Meus artigos :

Nomes portuguezes 04 : Raparigas

Nomes portuguezes 03 : Rapazes 

Nomes portuguezes 02 : Nomes

 

Tag(s) : #Genealogia, #Tradições
Partager cette page Facebook Twitter Google+ Pinterest
Suivre ce blog