Overblog Suivre ce blog
Editer l'article Administration Créer mon blog

 

Sol de Março
Queima a dama no paço

Sol de Março
Pega como pegamaço,
E fere como maço

Agua de Março
Peior é que nodoa em pano

Em Março
Nem rabo de gato molhado

Março marcegão,
P’la manhã rosto de cão
E á tarde de bom verão

Março marcegão,
P’la manhã rosto de cão
E á noite cara de cão

Março marcegão,
P’la manhã dia bonito,
A’ tarde um bom borregão

Março marcegão,
P’la manhã dia bonito
A’ tarde cara de cão

Março marcegão,
P’la manhã focinho de cão
E á tarde sol de verão

Março marcegão,
Manhã d’inverno
Tarde de verão

Março marcegão,
P’la manhã rosto de cão
E á tarde de bom verão

Março marcegão,
P’la manhã cara de cão
A’ tarde cara de rainha
E á noite cava co’a foicinha

Quando troveja em Março
Apparelha os cubos e o baraço

Quem não poda em Março
Vindima no regaço

Podar em Março
E’ ser madraço

Tempora, é a castanha
Que por Março arreganha

Se queres bom cabaço
Semeia em Março

O grão em Março
Nem na terra nem no sacco
 

Como vires a primavera
Assim pelo al espera

Março,
Pegam o solhos como pegamaço
Uga a noite com o dia,
Manoel (o sol) com Maria (a lua),
O pão com o mato,
A herva com o saramago

Em Março
Ouga a noite com o dia
E o pão com o sargaço

Paschoa em Março,
Ou fome, ou mortaço

Quando Março dá de rabo,
Nem ovelha com chocalho,
Nem pastor açamarrado

Se Março dá de rabo,
Nem fica ovelha parida,
Nem pastor açamarrado

Já o Março
Dá ao rabo

Em Março
Queimou a velha o maço ;
Em Abril
Queimou a velha o carro e o carril ;
E uma cama lhe ficou
Em Maio a queimou ;
E ainda lhe ficou como um punho
Que acabou em Junho

Se não chover entre Março e Abril
Venderá el-rei o carro e o carril

Se o cuco não vem
Entre Março e Abril
Ou o cuco é morto
Ou está para vir

Arço ventoso,
Abril chuvoso,
Maio Amoroso,
Fazem o anno formoso

Março ventoso
E Abril chuvoso
Do bom colmal
Farão astroso

Quando floriu o maracotão
Os dias iguaes são

Tardes de Março
Recolhe teu gado

 

 

 

Fonte :

Revista Lusitana, vol II, Livraria Portuense, 1890-1892, pp126-128

Tag(s) : #Antigamente, #Tradições, #Adagios

Partager cet article

Repost 0